O Processo criativo

Criatividade não se trata de pílula mágica ou de “baixar o santo”.

Ao contrário do que o senso comum sugere, a criatividade não é uma qualidade livre e autônoma, que pode ser dissociada do envolvimento verticalizado com uma atividade ou linguagem específica. Quem não investe não lucra ou, como diz o escritor Robert Heinlein, "Não há boca livre no universo". 

Assim sendo, "estratégias" ou "técnicas" criativas só se tornam viáveis/eficazes na presença de forte comprometimento ao longo de um tempo mínimo necessário para internalizar as regras do jogo. Alcançar o desempenho criativo em seu nível máximo requer, além de tempo de investimento, paixão, curiosidade, persistência, tolerância a ambiguidades e coragem para aceitar que muitos erros virão pela frente – erros não são apenas permitidos, são uma pré-condição para criação.

Com uma abordagem instigante, o workshop aponta os mais diversos fatores que fazem a diferença para um desempenho criativo otimizado. Amplamente ilustradas com textos, vídeos e exercícios, e usando fontes de disciplinas variadas, as palestras demonstram que a semelhança entre as dinâmicas criativas supera a diferença entre as linguagens. Entendendo os mecanismos que limitam a criatividade, podemos desenvolver estratégias que, ludicamente, contornam essas limitações.

Desenhado para grupos multidisciplinares, para todos que se interessam pelo processo de inovação e para quem a geração de novas ideias é fundamental, O Processo Criativo consiste em uma série de palestras escolhidas a partir de um repertório de 42 temas envolvidos nessa pesquisa – esta escolha será efetuada de acordo com as particularidades da composição de cada grupo.

 

Próximas turmas: 2018.1* (05/03 – 25/06)
Local: EAV Parque Lage / RJ

*permitida a inscrição de novos alunos ao longo do semestre

GIF_Pg_OPC_02.gif
O que um cara que faz climbing tem a ver com Thomas Edison? Ou Frank Zappa? O que Einstein tem a ver com Muhammad Ali? O processo em si. Faziam o que faziam por paixão, e os resultados brilhantes são consequência dessa dedicação. O ser humano que se pretende criativo precisa se alimentar.
E esse curso nos alimenta.
— Maitê Proença